Namore quando estiver pronto para se entregar...

A dinâmica (me parece) funciona da seguinte forma: Você gasta todo o seu arsenal de conquista, que inclui: Textos de carinho, flores, chocolates, mensagens carinhosas e por aí vai... Você se esvazia de ideias e depois elas se tornam cada vez mais raras. Mas, no início existe todo esse amor que te impulsiona a mover a lua de lugar pela pessoa? E depois? O que sobra pra depois? Não deveria ser melhor? Você já conhece a pessoa. Sua vida, sua rotina, seus gostos e paixões... Mas, que estranheza é essa que faz tudo cessar assim tão rápido quando na verdade deveria ser ainda mais bonito? Me parece que, com o tempo, ou quando você acha que já conquistou o suficiente, pode parar e relaxar. Tipo: “Ela já tá na minha. Agora é só correr pro abraço.

Não cara, não!

Você tem que saber que namoro é algo sério. É um compromisso. E é preciso coragem pra namorar. Você precisa estar pronto. Não existe um meio termo. Ou você se sente preparado pra dividir uma parte da sua vida com aquela pessoa que seu coração escolheu, ou não. E isso inclui uma conquista constante. Uma entrega por vez Eu acho que, se não é possível traspor as barreiras das dificuldades e com o tempo (onde toda a conquista é realmente necessária) as pessoas simplesmente perdem a mão, então claramente não havia um compromisso de fazer dar certo.
Fico pensando que temos muito mais do outro quando o amor ainda é um ideia do que quando este se torna mais solido e forte e aí é que precisamos coloca-lo para fora além das palavras. Ganha-se muito mais chocolate e visitas surpresas e beijos e carinho e pequenas rotinas bonitas, quando ainda nem conhecemos direito a pessoa do que quando já sentimos que realmente queremos ela na nossa vida, pelo tempo que for possível. Quando você se acostuma e tudo parece bem, então esse tudo desanda ou pelo menos para de ser mágico. Isso me soa como uma nota errada numa canção que deveria ser bonita, um erro. 

Porque você alimenta o coração de alguém que depois vai ter que retirar dessas reservas (das lembranças dos primeiros dias felizes) o suprimento pra o relacionamento continuar dando certo? 
Se amor é construção diária, entrega cotidiana?

NÃO esqueça de conquistar e ser conquistado todos os dias. Não esqueça! Não se acostume com a ideia de ter alguém. Tenha alguém e mostre a este alguém porque você o(a) escolheu. Alimente esse relacionamento que você decidiu construir pra ti pelo tempo que ele durar. E que seja pra sempre...

(...)

Por Di 


Diêgo Alves assina este ensaio com o coração, característica comum aqueles raros que entregam os sentimentos sem temer. Mantem a página DIversos Infinit8s no Facebook, destinada a despetalar, expor suas impressões sobre a mente dos que amam e a árdua tarefa em entender os que não pretendem amar. 
Share on Google Plus

About Marcador Expresso

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.